Filho de Hermes e Afrodite

"seus corpos são misturados e já não são dois, mas um único aspecto (...) já não são dois seres e, todavia, participam de uma única natureza; e sem que se possa dizer que é uma mulher nem uma criança, o aspecto não é nem de um, nem de outro, ao mesmo tempo em que é dos dois."

Salmacis and Hermaphroditus

Salmacis & Hermaphroditus, Jean de Troy, XVIII


A passagem de abertura do post, emprestada do poeta latino Ovídio (43 a. C. - 17 d. C.) em sua obra Metamorfoses, narra o mito de Hermafrodito. Nessa obra, o poeta descreve a criação e história do mundo, através da mitologia greco-romana e seus diversos personagens.

Hermafrodito é uma divindade grega, filho do deus Hermes (Mercúrio para os romanos) e da deusa Afrodite (Vênus para os romanos), de cuja união originou seu nome. Entregue por Afrodite, para ser criado pelas ninfas do Monte Ida, aos quinze anos Hermafrodito abandonou-as para percorrer as terras gregas.

Hermaphrodite Endormi

Hermaphrodite Endormi, Bernini, XVII


Certo dia, ao banhar-se nu em um lago, a ninfa aquática Salmácis apaixonou-se perdidamente pela divindade, porém não sendo correspondido seu amor. A ninfa então implorou aos deuses que unisse seu corpo ao do jovem deus para sempre, e os deuses lhe atenderiam o pedido.

Hermafrodito, acreditando ter afastado a ninfa, despiu-se e entrou novamente no lago. Salmácis então, mergulhando nas águas, enlaçou a jovem divindade e beijou-o violentamente. Enquanto ele lutava para desgarrar-se, a ninfa invocou os deuses, e seus corpos fundiram-se, tornando Hermafrodito uma figura dupla de homem e mulher.

Hermaphroditus and Salmacis

Hermaphroditos & Salmacis, Spranger, XVI


Após sua transformação, o jovem deus ordenou que dali para diante, todos aqueles que banhassem-se no lago, seriam transmutados, como ele próprio. O banho na "Fonte de Salmácis", acreditavam os gregos, transformaria qualquer um em hermafrodita.

É interessante notar a construção do nome "Hermafrodito", formado pela junção dos nomes de seus pais, Hermes e Afrodite. Hermes era primordialmente conhecido em suas representações como Senhor do Falo, e Afrodite, na sua representação mais conhecida, como Deusa do Amor.

A representação artística mais conhecida do mito de Hermafrodito, talvez seja a que encontramos no Louvre, conhecida como Hermafrodito Adormecido (Imagem central do post). A obra é uma cópia romana (c. 200 d.C.) de um original grego, executada pelo artista barroco italiano, Gian Lorenzo Bernini (1598 - 1680).

2 comentários:

SCHEILA disse...

achei muito interessante..adorei a historia era isso mesmo q eu imaginava q fosse uma fundição de corpos

Swing RS disse...

Muito legal a postagem. Recentemente li no Lindas e Dotadas um conto adaptado por H. Thiesen, bem interessante também.

http://lindasedotadas.blogspot.com.br/p/tributo-transex.html?m=0